Sign In
/pt-pt/PublishingImages/CEDEFOP_IN_certa.jpeg

​The document, in which the POCH collaborated, entitled “International mobility in learning: focus on long-term mobility in Portugal” published by CEDEFOP, focuses mainly on professional courses and learning courses.

30-06-2020

Além de apresentar as características dos percursos formativos dos cursos profissionais e dos cursos de aprendizagem, o estudo aborda 3 áreas do tema:
• “os fatores exógenos que influenciam a mobilidade dos formandos no ensino secundário”; 
• “a relação entre a estrutura da aprendizagem e a mobilidade dos formandos"
• “as lições aprendidas com políticas, iniciativas e projetos existentes de mobilidade de formandos”

Entre as conclusões apresentadas afere-se que, em Portugal, a mobilidade dos formandos é baixa nas duas modalidades formativas, independentemente da duração, sendo ainda mais baixa nos cursos de aprendizagem do que nos cursos profissionais.

A pequena dimensão de economia portuguesa é apontada com um dos fatores exógenos que poderá contribuir positivamente para a mobilidade, pois impõe trocas e interações permanentes, em particular na UE, que podem facilitar a mobilidade das pessoas, incluindo para formação.

A estrutura do sistema empresarial português, composta quase exclusivamente por pequenas e médias empresas, pode afetar a mobilidade de forma negativa, uma vez que dificulta que os empregadores valorizem a formação.  O facto de o nível de qualificação dos empregadores portugueses ser relativamente baixo, quando comparado com os seus homólogos de outros Estados-Membros, aumenta essa dificuldade.

São apontados também outros fatores exógenos que podem afetar a mobilidade, como políticas de migração nos países anfitriões, tipo e nível de envolvimento das estruturas de gestão dos provedores, idade, maturidade, habilitações e competências de línguas estrangeiras dos formandos e resistência familiar à mobilidade causada pela falta de tradição dos jovens irem  morar para fora do país para formação. 

Esta publicação contou com a colaboração do POCH enquanto parte da rede portuguesa Refernet (linkar) coordenada pela DGERT.

Leia aqui o documento na íntegra.

Fonte: CEDEFOP

  • < back to news