Sign In
/pt-pt/PublishingImages/Paginas/PremioCapitalHumano2020/jovens%20o%20secundário%20IN.jpeg

DGEEC - General Directorate of Education and Science Statistics presents the evolution of the post-secondary pathways of young people in scientific-humanistic courses (CCH) and those of professional courses (CP). Here we highlight information about the routes from Professional Courses.

16-09-2020

Os dados provêm do inquérito, publicado em julho, “Jovens no Pós-Secundário”, que é aplicado junto dos jovens 14 meses após a data prevista de conclusão do ensino secundário. Desde 2011 que a repartição dos diplomados com CCH e CP, em cada um dos inquéritos aos jovens no pós-secundário, se tem mantido relativamente constante.

- Em 2011: 65% CCH, 35% CP;
- Em 2017: 64% CCH, 36% CP.

Foram analisados os resultados dos jovens que frequentaram e terminaram um curso profissional, com certificação profissional, no ensino secundário, para ficar a conhecer os vários percursos escolhidos entre 2010 e 2017.

De acordo com os objetivos traçados para os cursos profissionais, no pós-secundário, 51% dos jovens estava a trabalhar (mais 16 p.p. face aos resultados de 2010). Cerca de 26% do total estava exclusivamente a estudar, menos 9 p.p. em relação a 2010, 14% não estudavam, mas procuravam emprego (menos 3 p.p. face a 2010) e 7% estudavam e trabalhavam, menos 4 p.p. que em 2010. Entre 2010 e 2014, aqueles que apenas estudavam desceram 14 p.p., e os que trabalharam subiram 14 p.p. entre 2010 e 2016. A recente diminuição de jovens provenientes dos CP que “não estudam, mas procura emprego” indicia uma maior empregabilidade destes jovens desde 2016, consequência também de uma conjuntura mais favorável do mercado de trabalho nos últimos anos abrangidos pelo inquérito.

O segmento de jovens que trabalha em exclusivo teve uma integração rápida no mercado de trabalho, imediatamente após o final do curso, chegando aos 53%, mais 2 p.p. que em 2010. O número daqueles que só conseguiram a primeira entrada no mundo do trabalho 6 meses após a conclusão do seu curso diminuiu 8 p.p. entre 2010 e 2017. 

Em 2017, 34% dos estudantes que estavam exclusivamente a estudar faziam-no no ensino universitário, dos quais 33% numa licenciatura do ensino politécnico e 33% a frequentar um curso TeSP. Recorde-se que o POCH financiou também até 2018 as bolsas de ação social para estudantes do ensino superior, bem como os cursos TeSP, promovendo por essa via o aumento da proporção da nossa população com esse nível de ensino.

Dos jovens trabalhadores estudantes pelo momento de inserção profissional, constatou-se que 37% integraram o mercado de trabalho antes do final do curso e outros 37%  imediatamente a seguir ao final do curso. 26% só o conseguiram seis ou mais meses após essa conclusão.

Os jovens consideram que a conclusão do ensino secundário aumenta a possibilidade de encontrarem emprego (87%, menos 3 p.p. que em 2010), e 13% considera que a conclusão do ensino secundário não aumenta essa possibilidade.

O grau de satisfação dos jovens face ao trajeto escolar no ensino profissional, revela que a maioria (84%) se encontrava satisfeita, existindo apenas 4% insatisfeitos com o seu trajeto. O estudo da DGEEC mostra ainda o grau de satisfação dos jovens provenientes de CP em relação ao trabalho que estavam a desempenhar: 77% mostravam-se satisfeitos e apenas 7% insatisfeitos, ainda assim um aumento de 3 p.p. relativamente a 2010.

Os cursos profissionais estão direcionados para uma integração imediata no mercado de trabalho após a conclusão do ensino secundário, pois proporcionam uma formação prática e em contexto de trabalho, com qualificações relevantes no âmbito  sócio-económico local, levando ao estabelecimento de relações de proximidade com o tecido empresarial. Isto sem prejuízo de poderem também optar por prosseguirem estudos para o ensino superior, conforme também demonstrado nos dados divulgados.

O
 POCH já apoiou, até 30/06/2020, um total de 208 370 jovens em Cursos Profissionais, num investimento total elegível de 1 967 M€ de Investimento Total Aprovado, dos quais 1 672 M€ são apoios FSE.

Aceda aqui ao relatório da DGEEC “Jovens no Pós-Secundário 2010 a 2017 Cursos Científico-Humanísticos e Cursos Profissionais” 


Fonte: DGEEC

  • < back to news