Sign In
/pt-pt/PublishingImages/Paginas/PremioCapitalHumano2020/1_AEC_IN.jpeg

​A year ago, the European Commission presented the European Skills Agenda for sustainable competitiveness, social justice and resilience. The Commission has therefore set ambitious and quantitative targets to increase skills and re-skilling. A year later is the time to take stock and look to the future.

14-07-2021

Neste período, nove das doze iniciativas emblemáticas da Agenda Europeia de Competências foram lançadas e a Comissão vai apresentar propostas sobre as três restantes antes de terminar 2021.

P
or trás de cada uma dessas iniciativas emblemáticas estão atividades que criam oportunidades de educação e formação para todos, tornam as qualificações e certificações mais transparentes e aceites além-fronteiras e esclarecem quais são as competências necessárias para o mercado de trabalho de hoje e de amanhã.

Estas medidas significam que através do Pacto pelas Competências, a Comissão Europeia está a reunir empresas, trabalhadores, autoridades nacionais, regionais e locais, parceiros sociais, promotores de educação e formação e outros stakeholders para criar uma cultura de aprendizagem ao longo da vida. Quase 400 organizações já assinaram o Pacto e muitas outras parcerias estão a surgir, comprometendo-se com uma carta de princípios-chave na construção de iniciativas de qualificação inclusivas.

Mais de dois milhões de pessoas estão a utilizar o Europass, modernizado em julho de 2020, para mostrar as suas competências e para se relacionarem com empregos e oportunidades de aprendizagem em toda a Europa. Este novo modelo inclui um perfil online que permite registar todas as realizações em aprendizagem, trabalho, voluntariado ou qualquer outra experiência. O Europass também ajuda as pessoas a compreenderem o valor das suas competências - graças à classificação Europeia de Competências, Qualificações e Profissões e oferece sugestões de emprego personalizadas.

No que diz respeito às 
Skills Intelligence, o conhecimento sistematizado das necessidades de competências do mercado de trabalho, a agência da UE, Cedefop - Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional, está a utilizar tecnologia de ponta para analisar portais e anúncios de emprego em toda a Europa. Na ferramenta de análise de vagas online para a Europa a  "Skills OVATE" podem ser identificadas as oportunidades para a profissão escolhida ou quais são as competências mais solicitadas. Esta análise, conjugada com formas mais tradicionais de auscultação de necessidades de competências, ajuda a entender melhor a evolução do mercado de trabalho.

Ao nível da Educação e Formação Profissional (EFP), uma nova recomendação do Conselho, juntamente com a declaração de Osnabruck, definiram uma visão estratégica para a cooperação da UE em matéria de Educação e Formação Profissional  e um conjunto de ações concretas a realizar a nível da UE e dos Estados-Membros.

A iniciativa sobre Centros de Excelência Profissional (CoVE) está também em pleno andamento - apoiada por financiamento Erasmus +. Os CoVEs reúnem várias partes interessadas locais, permitindo que os promotores de EFP adaptem rapidamente a oferta de competências às necessidades económicas e sociais.. Operam num contexto local, sendo a base dos ecossistemas de competências para a inovação, desenvolvimento regional e inclusão social.

A renovada Aliança Europeia para a Aprendizagem cresceu, alcançando mais de 1 milhão de vagas de oportunidades de aprendizagem. A Aliança, incorporada no Pacto pelas Competências, tem enfoque em aprendizagens digitais e verdes, ao mesmo tempo que promove acordos de aprendizagem nacionais, incentiva o apoio às PME e mobiliza autoridades locais e regionais para a aprendizagem. A elevada ambição das prioridades políticas da EFP teve correspondência com recursos financeiros significativos da UE ao abrigo do novo Quadro Financeiro Plurianual.  Quase 2 milhões de alunos, aprendizes e funcionários da EFP terão a oportunidade de realizar um estágio no exterior, em qualquer país do mundo.

Logo no início da pandemia COVID-19, tornou-se evidente que os jovens estariam entre os mais afetados pelas medidas de contenção, como o encerramento de escolas e locais de trabalho. Além disso, era importante apoiar os jovens na construção de um futuro melhor. Há um ano, a Comissão propôs o Apoio ao Emprego Juvenil (YES) para apoiar os jovens na crise, mas também a longo prazo. Desde então, uma série de iniciativas e atividades anunciadas no SIM (YES em inglês) foram levadas a cabo, tanto a nível da UE como dos Estados-Membros.

O pacote SIM incluía uma proposta de Garantia para a Juventude, que entrou em vigor como recomendação do Conselho em 30 de outubro de 2020. Os Estados-Membros estão atualmente a implementar atividades no âmbito desta Garantia, que visam reduzir o desemprego e a inatividade entre os jovens, preparando-os para o mercado de trabalho. Por exemplo, na Grécia, Letónia e Portugal muitos jovens desempregados beneficiam de cursos de formação de curta duração que devem oferecer-lhes as competências digitais de que necessitam no mercado de trabalho atual.

A crise ainda não acabou e muitos jovens continuam a sofrer com o seu impacto. Medidas de apoio contínuas são imprescindíveis. A Comissão Europeia apoia os Estados-Membros com financiamento através do Next Generation EU e do Fundo Social Europeu + e disponibilizando plataformas para a troca de ideias e experiências.

Fonte: 
Comissão Europeia

  • < back to news