Sign In
/pt-pt/PublishingImages/Paginas/PremioCapitalHumano2020/1_Eurobarometro_%20IN.jpeg

​The latest Eurobarometer survey published by the European Parliament reveals clear public support for transparency and effective control of European Union (EU) funds under the NextGenerationEU programme.

14-09-2021

De acordo com o inquérito, 53% dos europeus concordam totalmente que deve haver um controlo efetivo e 32% tendem a concordar com essa opinião. Apenas 8% dos inquiridos, na média da UE, discordam. Em Portugal, 70% concorda totalmente com a necessidade de um controlo eficaz dos fundos. Esta é uma posição partilhada pelo Parlamento Europeu, que acompanha de perto a avaliação dos planos nacionais pela Comissão Europeia para garantir que estes fundos são utilizados em consonância com os objetivos de uma sociedade europeia mais ecológica, digital e resiliente.


O respeito pelo Estado de direito é uma das principais preocupações do Parlamento Europeu. No nosso país, 91% dos inquiridos consideram que a concessão de fundos europeus deve ser subordinada ao respeito do Estado de direito e princípios democráticos, acima da média europeia de 81%. O Presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, considera que  "os fundos de recuperação não devem ir para governos que não respeitem os valores democráticos ou o Estado de direito. Este inquérito confirma que uma esmagadora maioria dos europeus concorda. Quem desrespeita sistematicamente os valores europeus, não deve esperar fundos europeus".

Os cidadãos avaliam positivamente o plano de recuperação de 800 mil milhões de euros da União Europeia: 75% dos portugueses e 60% dos europeus esperam que os fundos ajudem o seu país a superar os danos económicos e sociais provocados pela pandemia, enquanto que 41% dos europeus (e 36% dos portugueses) questionam a capacidade do governo para utilizar os fundos de forma adequada.

O inquérito evidencia também a opinião dos europeus no que diz respeito à vacinação contra a COVID-19.  49% dos cidadãos europeus concordam com a forma como a União Europeia está a lidar com a questão da vacinação e 65% acham que tem desempenhado um papel fundamental no acesso às vacinas no seu país. Em Portugal, 84% estão satisfeitos (69%) ou muito satisfeitos (15%) com a forma como a UE geriu a estratégia de vacinação. 89% dos portugueses concordam (36%) e tendem a concordar (53%) que a UE está a desempenhar um papel fundamental para garantir o acesso às vacinas contra a COVID-19 em Portugal.

Os cidadãos europeus foram questionados sobre os temas que gostariam que o Parlamento Europeu abordasse prioritariamente: as ações contra as alterações climáticas revelaram-se em primeiro lugar, com o apoio de 43% dos cidadãos europeus (50% dos portugueses). As medidas de luta contra a pobreza e a exclusão social são prioridades apoiadas por 32% dos inquiridos. O apoio à economia e à criação de novos empregos, bem como a luta contra o terrorismo têm a mesma percentagem de defensores, 31%. A saúde pública, a migração e o asilo, ocupam a quarta posição, com 27%.

Consulte aqui toda a informação relativa ao inquérito Europeu.

Consulte aqui a informação relativa ao inquérito em Portugal.

  • < back to news