Iniciar sessão
/pt-pt/Noticias/PublishingImages/RCH_EPDRAC.jpeg

​A escola de Alter do Chão, visitada pela equipa do PO CH na manhã do passado dia 20 de outubro, está vocacionada para formar jovens técnicos nas áreas equestre e de agropecuária. Durante a visita, o PO CH conheceu o projeto pedagógico da escola, o trabalho dos formandos, as instalações e os meios disponíveis, bem como a equipa docente e não docente. 

02-11-2022
​Uma manhã de chuva intensa não impediu a equipa de conhecer a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão (EPDRAC) e o trabalho desenvolvido. O PO CH foi recebido pela diretora, Vera Tita, que tomou a seu cargo o acompanhamento da visita e todas as explicações sobre a escola, o seu projeto e funcionamento.

IMG_5022.JPG
A equipa do PO CH com a diretora da escola, Vera Tita

O picadeiro coberto foi a primeira paragem, onde decorria uma aula dos alunos do Curso Profissional de Técnico de Gestão Equina. A escola recebe alunos para a área equestre provenientes de todo o país, o que espelha o importante trabalho desenvolvido nesta área. A visita prosseguiu para os estábulos onde alunos do Curso de Educação e Formação de Tratador e Desbastador de Equinos (CEF) preparavam os cavalos e os seus espaços de repouso. Foi ainda possível conhecer a horta da escola, onde se desenrolam os trabalhos práticos no âmbito dos cursos de agropecuária e as salas de aula, onde trabalhavam os formandos do Curso Profissional de Turismo Equestre e de Técnico de Turismo Ambiental e Rural.

EPDRAC_Picadeiro.png

Curso Profissional de Técnico de Gestão Equina

EPDRAC_Tratador.png

Curso de Tratador e Desbastador de Equinos


No decorrer da visita, a equipa do PO CH deparou-se com um grande número de formandos, tendo sido sempre saudada com entusiasmo. Vitor Pinheiro, técnico especializado dos cursos de agropecuária e equitação na área da mecanização e contabilidade agrícola, à conversa com o PO CH, afirmou que a escola tem o objetivo de formar não só técnicos competentes nas suas áreas, como também melhores pessoas, através da partilha de valores como solidariedade, entreajuda, convivência saudável, humildade, ética e muitos outros.

No que respeita à empregabilidade dos cursos, o técnico relatou que a procura de mão-de-obra por parte dos empregadores locais, na área da agropecuária, é muito superior à que é disponibilizada todos os anos pela escola. Numa região em que se pratica essencialmente uma agricultura de sequeiro, os trabalhadores devidamente formados, com competências adequadas, são muito valorizados. Os formandos da agropecuária, para além das competências que adquirem no âmbito do seu curso, obtêm também outras competências paralelas, como a carta de trator ou o cartão de aplicador de produtos fitofarmacêuticos, que lhes acrescentam  potencialidades de trabalho.


im.png

Horta da escola – área de agropecuária


A escola disponibiliza também o curso de jovens agricultores, uma formação para quem pretende submeter projetos no âmbito do PDR 2020 (Programa de Desenvolvimento Rural), que promove o empreendedorismo entre os formandos e faz com que muitos deles abram o seu próprio negócio. 

Luís Cabaço, coordenador e docente do curso de agropecuária, assegura que a procura de alunos formados na área equestre, tanto a nível nacional como a nível internacional, é também superior à oferta disponibilizada pela escola e todos os bons alunos são imediatamente requisitados. 

A escola fomenta as relações com as empresas da região, contando com inúmeros parceiros entre os quais destaca a Coudelaria de Alter e a Herdade do Papa Leite, com parcerias estabelecidas respetivamente na área equestre e na área agrícola. A formação em contexto de trabalho decorre não só na região, mas também fora dela, sobretudo na área equestre.

Sandra Ferreira, docente da área agrícola e ambiental e coordenadora de diversos projetos de âmbito transversal, informou que a taxa de conclusão e/ou prosseguimento de estudos dos cursos, no ano de 2021, foi de cerca de 80%, incluindo já os formandos que só concluírão em dezembro.  Na grande maioria dos casos, estes formandos já se encontram a trabalhar e solicitam alguma flexibilidade para terminar o curso.

A visita à escola foi concluída com uma reunião entre a equipa do PO CH e a Direção da escola, onde foi abordada a temática dos apoios europeus e outros assuntos relacionados com a gestão dos cursos que a escola disponibiliza. 


IMG_5079.JPG

Vera Tita, diretora da EPDRAC com Joaquim Bernardo, Presidente do PO CH. Em fundo os prémios que têm vindo a ser conquistados pelos alunos dos cursos profissionais.


No âmbito do Roteiro Capital Humano, o PO CH está a produzir um vídeo que retrata a história de sucesso de um dos formandos desta escola, o Bernardo Neves, que frequentou o Curso Profissional de Técnico de Gestão Equina, no ciclo letivo 2018/2021. O Bernardo tem uma verdadeira paixão por cavalos e desde cedo percebeu que era nesta área que queria desenvolver a sua atividade profissional. É um exemplo de um aluno proveniente de outras regiões do país que encontrou na escola o seu percurso formativo de eleição. Hoje, com o curso concluído, está a trabalhar na Monte Velho  Eco Resort, na área do turismo equestre, com excelentes perspetivas de futuro profissional e de realizar o seu sonho de competir a nível profissional. O vídeo será disponibilizado em breve nos canais do PO CH.

Até 30 de junho de 2022, o PO CH, com o investimento do Fundo Social Europeu (FSE), já apoiou a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão, na área da formação inicial de jovens, com o montante total de 6,5 milhões de euros (M€), dos quais 5,5 M€ são FSE. Destes apoios usufruíram 699 formandos. A escola possui a certificação EQAVET - Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para o Ensino e Formação Profissional, cujo processo de certificação também foi alvo de apoio do PO CH. 
  • < voltar a notícias