Iniciar sessão
/pt-pt/PublishingImages/Fotolia_120179212_Subscription_Monthly_XXL.jpg

​No âmbito da apresentação do 'Pacote da primavera de 2017 do Semestre Europeu', a Comissão Europeia (COM) sublinha a necessidade de melhorar os níveis de qualificação dos ativos.

29-05-2017

Nos considerandos da proposta da Comissão Europeia ao Conselho Europeu para recomendações a Portugal sobre o Programa Nacional de Reformas e o Programa de Estabilidade de 2017, a Comissão Europeia reconhece as melhorias significativas nos resultados da educação escolar, como demonstrado pelos números mais recentes do PISA. Apesar desses progressos Portugal continua a ser um dos países da OCDE com as taxas de repetição mais elevadas, sendo este um importante fator para o aumento do risco de abandono escolar. Por outro lado, o nível global de qualificações das pessoas empregadas continua a ser o mais baixo da Europa, dificultando o potencial de inovação e a competitividade do país. A Comissão faz ainda referência à necessidade do reforço das competências digitais dos trabalhadores portugueses, competências que são hoje um alicerce indispensável para a integração socioprofissional e a melhoria do desempenho no seu trabalho.

 

No documento é dado destaque às medidas do atual Governo que visam a promoção da qualificação de adultos, através do estabelecimento dos Centros Qualifica, que têm como objetivo a qualificação de adultos, assegurando a continuidade da aprendizagem ao longo da vida e a permanente melhoria da qualidade dos processos e resultados de aprendizagem. Para os responsáveis da Comissão Europeia esta medida poderá atenuar o efeito negativo de mudanças em determinadas áreas laborais, com impacto no mercado de trabalho em geral, melhorando as competências dos trabalhadores, dotando-os de ferramentas que salvaguardem a sua empregabilidade.

 

Em linha com estas considerações, o PO CH tem, desde 2014, vários apoios aprovados e disponibilizados aos seus beneficiários para a promoção do sucesso educativo, combate ao abandono escolar e reforço da qualificação dos jovens, tendo até 31 de Março aprovado 1278 candidaturas neste âmbito, num montante superior a 1.500 milhões de euros, com o maior volume financeiro alocado nos cursos profissionais. Para a aprendizagem, qualificação ao longo da vida e reforço da empregabilidade, à mesma data, tinham sido aprovadas 236 candidaturas no montante de 205 milhões de euros, com enfoque nos cursos de Aprendizagem, cursos de Educação e Formação de Adultos e, precisamente, nos Centros Qualifica.

  • < voltar a notícias