Iniciar sessão
/pt-pt/PublishingImages/1%20CAMINHA.jpg

Na ETAP - Escola Profissional, Carina Marques concluiu o ensino secundário através do curso profissional de Técnico de Receção. E foi no balanço das ondas do mar que encontrou o seu primeiro emprego.

22-07-2019

Carina Marques recebe-nos no navio museu Gil Eanes. Sorridente convida-nos a conhecer o navio que é propriedade da Fundação Gil Eanes e que foi construído nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, tendo iniciado a sua atividade como hospital em 1955, apoiando, durante décadas, a frota bacalhoeira portuguesa que atuava nos bancos da Terra Nova e Gronelândia. 

O projeto da Fundação Gil Eanes tem transformado, nos últimos anos, o que outrora foi um navio hospital, num navio museu, contribuindo para o desenvolvimento cultural, turístico e científico, especialmente em áreas relacionadas com o mar. Em 2014 o Município de Viana do Castelo abriu um espaço, de acesso gratuito, integrado no projeto Centro de Mar designado de "edifício Farol" e que cruza as diversas valências históricas, culturais e contemporâneas da ligação do homem ao mar.

4.jpg

Ali, de espaço em espaço, cabine em cabine, cheira a mar, a coragem, a trabalho, a mil histórias reais, mas que são de encantar. Carina Marques conhece cada recanto do navio e orgulhosa descreve o trabalho do dia-a-dia, as iniciativas, os novos projetos, o contacto diário com as pessoas que ali recebe. Aos 21 anos relembra os sonhos de adolescência:

"Quando mais nova queria ser cabeleireira, acho que a maioria das meninas dizem isso. Depois cresci, estudei e aquando da passagem mais o 10º ano decidi ingressar num curso profissional. Gosto de pessoas, de estar com pessoas e o curso de Técnico de Receção pareceu-me bem na altura", explica.

Em casa a notícia não foi recebida com total aprovação. O estigma dos cursos profissionais era bem real e a mãe "não gostou" da opção tomada: "aceitou, mas durante os anos do curso muitas vezes questionava a minha escolha. Hoje está muito orgulhosa do meu percurso", diz Carina.

Em 2016 concluiu o ensino secundário. Três anos de muito trabalho, de muitas histórias felizes, de pessoas marcantes e com a ajuda suplementar dos apoios da União Europeia através do Fundo Social Europeu: "adorei frequentar a ETAP, os meus amigos, professores que nunca vou esquecer e que tiveram um papel muito importante na minha vida. E o apoio financeiro dado pelo PO CH através dos fundos europeus foram essenciais para que pudesse ter sucesso", afirma.

6.jpg

Ainda durante o curso Carina Marques estagiou na Casa Melo Alvim, um hotel em Viana do Castelo onde pela primeira vez teve "contato real com o mercado de trabalho e todas as exigências diárias". Depois viajou para o Algarve para um segundo estágio. Auto avaliação final: "adorei, foi ótimo conhecer outra cidade, outras vivências". E a grande aventura aconteceu no último ano do curso profissional quando Barcelona foi o seu destino. No Hotel Catalonia Sagrada Família descobriu a sua vocação, a certeza do que queria para o seu futuro e uma realidade desconhecida: "estava longe da minha família, num país diferente, no início não foi fácil. Mas descobri mundo, trabalhei muito, aprendi ainda mais e regressei a Viana totalmente segura de mim".

Um, dois, três meses, 92 dias de espera e o telefone tocou. Leonor Cruz, responsável do Centro de Mar de Viana do Castelo convidava Carina Marques para trabalhar no navio Gil Eanes: "tenho as melhores referências sobre ti, quando podes começar?" Foram estas as palavras que ainda hoje não esquece e em Novembro de 2016 o balanço do mar foi o balanço de escolhas certas e de uma formação adequada às necessidades do mercado de trabalho: "o curso profissional deu-me bases muito boas. Depois é dia-a-dia, aprender, saber ouvir, perguntar, eu gosto de perguntar e gosto de trabalhar aqui".

7 CAMINHA.jpg

A visita e a nossa conversa terminam. Faltam as fotos, mas na proa, enquanto se tenta encontrar a melhor luz para uma boa fotografia, Carina Marques conta-nos uma vontade para o futuro: "Ingressar na Universidade é uma hipótese que estou a ponderar. Gostava de me preparar bem para novas oportunidades que possam surgir". A foto foi tirada, sem ondas a atrapalhar.

"Saiu da escola com o perfil adequado"

Leonor Cruz não esconde a satisfação de contar com a Carina Marques na sua equipa. Para além do entusiasmo próprio da idade, a responsável pelo Centro de Mar encontra na ex-formanda da ETAP qualidades que são essenciais para desenvolver um bom trabalho: "A Carina saiu da escola com o perfil adequado, a componente prática do curso deu-lhe capacidade de comunicação, de pro atividade, de perguntar quando não sabe, de querer participar em novos projetos, tudo isso é muito importante quando temos uma equipa pequena e que tem uma tarefa tão grande em mãos", explica a responsável que espera "contar com a Carina durante muito tempo". 

8 CAMINHA.jpg

O Apoio do PO CH à ETAP – Escola Profissional

Esta iniciativa resultou do convite da ETAP – Escola Profissional para que a Comissão Diretiva do PO CH estivesse presente nas Provas de Aptidão Profissional de alguns dos seus alunos, nomeadamente do curso profissional de Técnico de Cozinha/Pastelaria, que decorreram no polo da escola de Caminha.

Em termos de apoios, até 30 de maio de 2019 o PO CH aprovou 17 candidaturas apresentadas pela ETAP, duas das quais para apoio de Cursos Vocacionais, quatro de Cursos de Educação e Formação de Jovens (CEF), quatro de Cursos Profissionais, seis relativas a Centros Qualifica/CQEP e uma relativa à Qualidade e eficiência do sistema de educação e formação para promoção do sucesso escolar, num montante total aprovado de 16.9 milhões de euros, dos quais 14.4 milhões de euros de Fundo Social Europeu (FSE)

  • < voltar a notícias