Iniciar sessão
/pt-pt/PublishingImages/Guia%20dados%20administrativos.jpeg

​O guia lançado com o objetivo de incentivar os Estados-Membros a utilizar métodos de avaliação de impacto contrafactual, ajuda a potenciar o uso dos dados administrativos, um método relevante para estimar a eficácia das operações do FSE.

22-05-2020

Este documento é um guia passo a passo das diferentes etapas no uso de dados administrativos para efeitos de avaliação, desde a identificação das principais características da intervenção a avaliar, até à entrega de dados, passando pelas entidades detentoras dos dados, pelas questões de privacidade, anonimização e agregação de dados. O Guia identifica as principais vantagens no uso de dados administrativos:

 • Menor custo e tempo: os dados administrativos são recolhidos em permanência, não havendo necessidade de planear e executar uma pesquisa e/ou um plano de amostragem específica, entre outros.


• Completude: os dados administrativos, geralmente, incluem informações sobre toda a população e são muito detalhados (é difícil recolher esse nível de detalhe e abrangência em pesquisas).

• Informação contínua: os dados administrativos seguem um fluxo contínuo de informações, que pode ser usado para reconstruir as informações necessárias em qualquer momento do tempo.

• Precisão: os dados administrativos fornecem informação mais precisa do que outro tipo de pesquisas.

• Dados administrativos podem ser usados ​​para projetar a amostra de uma pesquisa: uma vez que os dados administrativos abrangem toda a população, podem servir de base para a realização de pesquisas.

Apesar das referidas vantagens, o guia também alerta para algumas desvantagens, destacando os custos burocráticos, a necessidade de harmonização, tendo em conta que diferentes instituições podem recolher as mesmas informações de maneiras distintas, e a necessidade de anonimização/pseudo-anonimização dos dados pessoais.

A publicação foi elaborada pelo Centro Comum de Investigação (CCI), sendo parte do acordo administrativo entre a DG EMPL e o CCI. Informação adicional, incluindo tutoriais em vídeo sobre métodos de avaliação de impacto contrafactual, também são disponibilizados pela CE.

O POCH tem em curso quatro avaliações que requerem o recurso a métodos de avaliação contrafactual, no âmbito do Plano de Avaliação do PO CH, que é parte do Plano Global de Avaliação do Portugal 2020:

 • Avaliação do Contributo do Portugal 2020 para o aumento dos diplomados do ensino superior – cujo método contractual está a ser implementado pelo
CRIE.

• Avaliação do Contributo do Portugal 2020 para a promoção do sucesso educativo, a redução do abandono escolar precoce e a empregabilidade dos jovens;

 • Avaliação do contributo do Portugal 2020 para o aumento da qualificação e (re)inserção no mercado de trabalho dos adultos;


• Avaliação do contributo do Portugal 2020 para a melhoria das qualificações e melhoria da qualidade dos empregos dos adultos empregados.

Aceda ao documento original aqui.

  • < voltar a notícias