Iniciar sessão
/pt-pt/PublishingImages/Paginas/PremioCapitalHumano2020/Necessidades.jpeg

​Pedreiro/a, Empregado/a de restaurante/bar e Eletricista de instalações são as qualificações que registaram maiores dificuldades de recrutamento em 2020. A falta de formação adequada representa mais de 57% das dificuldades de recrutamento apontadas pelas empresas inquiridas.

06-08-2020

​O INE - Instituto Nacional de Estatística em colaboração com a ANQEP - Agência para a Qualificação e a Formação Profissional e a DGEEC - Direção Geral de Estatísticas de Educação e Ciência promoveu o Inquérito à Identificação das Necessidades de Qualificações nas Empresas (IINQE). 

Das conclusões do inquérito destacamos que, nos próximos dois anos (2021-2022), as empresas pretendem recrutar 345 584 trabalhadores, o que corresponderá a um acréscimo bruto de 10,8% do seu pessoal ao serviço.

Destes trabalhadores a recrutar, 49,9% deverão ter curso de ensino não superior (formação profissional), 32,2% curso de ensino superior e para 17,9% não é apontado um nível de qualificação específico. Essas intenções de recrutamento correspondem a aumentos brutos de 17,8% de trabalhadores com curso de ensino superior e de 9,1% dos trabalhadores sem qualificações de nível superior.

As qualificações de nível não superior mais indicadas pelas empresas nas suas necessidades de recrutamento foram Empregado/a de restaurante/bar (9.º ano + certificação profissional), Técnico de comércio (12.º ano + certificação profissional) e Técnico/a de restaurante/bar (12.º ano + certificação profissional), correspondendo a 9,0%, 6,4% e 5,9%  do total de trabalhadores a recrutar com este nível de qualificação, respetivamente.

Os cursos de ensino superior mais mencionados foram Engenharia informática, de computadores, telecomunicações e sistemas de informação; Engenharia de software e sistemas de informação e Gestão comercial e vendas (11,5%, 6,7% e 6,3% do total de trabalhadores com qualificação de nível superior, respetivamente).


Das empresas ativas em 2020, independentemente de preverem ou não recrutar trabalhadores nos próximos 2 anos, 18% referiram ter dificuldades em recrutar trabalhadores para a empresa. A falta de formação adequada é a razão que mais justifica as dificuldades de recrutamento (57,3%).


O POCH apoia, através do Fundo Social Europeu, apoia cursos de dupla certificação conferentes de certificação de nível básico (ISCED 2) e secundário (ISCED 3).

A aposta na formação e empregabilidade dos jovens teve um investimento total elegível de 2 164 M€ (1 840 M€ FSE) e beneficiou mais de 249 mil jovens, até 30 de junho de 2020.

Consulte aqui os resultados do inquérito na integra.

Gráficos: Inquérito à Identificação das Necessidades de Qualificações nas Empresas (IINQE).

Fontes: INE, ANQEP

  • < voltar a notícias