Iniciar sessão
/pt-pt/PublishingImages/Paginas/PremioCapitalHumano2020/1_guiao%20transformação%20Digital.jpeg

​A Comissão Europeia propôs, no decorrer do debate do Estado da União, um Guião para a Década Digital, um plano concreto para realizar a transformação digital da sociedade e economia até 2030, que materialize as ambições digitais da União Europeia sob a forma de um mecanismo de execução concreto.

24-09-2021

Será criado um quadro de governação baseado num mecanismo de cooperação anual com os Estados-Membros, a fim de alcançar as metas da Década Digital para 2030 a nível da União nos domínios das competências digitais, das infraestruturas digitais, da digitalização das empresas e dos serviços públicos. Visa igualmente identificar e executar projetos digitais de grande escala que envolvam a Comissão e os Estados-Membros.

A pandemia deixou claro o importante papel da tecnologia digital na construção de um futuro sustentável e próspero. A crise revelou as disparidades criadas entre as empresas com capacidade digital e aquelas que as não possuem. Salientou também o fosso existente entre as zonas urbanas com boas ligações à rede e as zonas rurais e remotas. A digitalização oferece novas oportunidades no mercado europeu, em que mais de 500 000 vagas para peritos em cibersegurança e dados ficaram por preencher em 2020. De acordo com os valores europeus, o Guião para a Década Digital deve reforçar a liderança digital europeia e promover políticas digitais sustentáveis, centradas no ser humano, que capacitem os cidadãos e as empresas.

A Comissão propõe a criação de um mecanismo de cooperação anual com os Estados-Membros, constituído pelos seguintes elementos:

  • Um sistema de acompanhamento estruturado, transparente e partilhado, baseado no índice de digitalidade da economia e da sociedade (IDES) e destinado medir os progressos na consecução de cada uma das metas fixadas para 2030, incluindo indicadores-chave de desempenho;

  • Um relatório anual sobre o estado da Década Digital, no qual a Comissão avaliará os progressos realizados e recomendará medidas;

  • Roteiros estratégicos plurianuais para a década digital por Estado-Membro, que descreverão as políticas e medidas adotadas ou planeadas em apoio das metas para 2030;

  • Um quadro anual estruturado para debater e abordar domínios em que os progressos são insuficientes, através de recomendações e de compromissos conjuntos entre a Comissão e os Estados-Membros;

  • Um mecanismo de apoio à execução de projetos plurinacionais.


No âmbito das competências digitais, as metas europeias para 2030 são ambiciosas: alcançar 20 milhões de especialistas em TIC (tecnologias de informação e comunicação) e 80% da população com competências digitais básicas. No caso de Portugal, implica reforçar ainda mais a aposta na formação especializada em saídas profissionais no domínio das tecnologias de informação e comunicação, bem como na formação de competências básicas digitais para todos, como aposta fundamental para assegurar um plena inclusão social e profissional dos residentes no país, tendo em conta que em 2019 a percentagem de população portuguesa que não possuía, pelo menos, as competências digitais básicas era ainda de 48% e que cerca de 26% do total não tinha qualquer competência digital.

Aceda aqui ao 
Comunicado de Imprensa da Comissão sobre o Guião para a Década Digital.
Aceda aqui às Metas da Década Digital para 2030

 Fonte: Comissão Europeia

  • < voltar a notícias